BRASIL, Mulher, NEUSA MARIA PAGANI PANICE,BAURU/SP

 

   

    UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
  canilfh.com.br
  hotelariafh.sites.uol.com.br
  HOTELARIA
  curiosidades


 

    14/10/2007 a 20/10/2007
  23/09/2007 a 29/09/2007
  31/12/2006 a 06/01/2007
  24/09/2006 a 30/09/2006
  27/08/2006 a 02/09/2006
  09/07/2006 a 15/07/2006
  19/02/2006 a 25/02/2006
  01/01/2006 a 07/01/2006
  06/11/2005 a 12/11/2005
  30/10/2005 a 05/11/2005
  16/10/2005 a 22/10/2005
  02/10/2005 a 08/10/2005
  11/09/2005 a 17/09/2005
  04/09/2005 a 10/09/2005
  28/08/2005 a 03/09/2005
  21/08/2005 a 27/08/2005
  14/08/2005 a 20/08/2005
  07/08/2005 a 13/08/2005
  31/07/2005 a 06/08/2005
  24/07/2005 a 30/07/2005
  17/07/2005 a 23/07/2005
  10/07/2005 a 16/07/2005
  03/07/2005 a 09/07/2005
  26/06/2005 a 02/07/2005
  19/06/2005 a 25/06/2005
  12/06/2005 a 18/06/2005


 

  Todas as mensagens
  Evento
  VIAGEM
  PIADAS
  CÃES
  GATOS
  outros


 

   

   


 
 
CANIL E GATIL F.H.



 

Os golfinhos

DANÇA NAS ÁGUAS
Os golfinhos rotadores têm esse nome
por causa das suas manobras aéreas,
nas quais giram em torno do próprio eixo.
E lá embaixo d'água eles também
exibem um lindo balé

SEXTO SENTIDO
Os golfinhos são dotados de uma espécie
de sonar, que lhes possibilita sentir
vibrações internas de outros animais,
inclusive ondas cerebrais. De acordo com
pesquisas, em 97% dos casos eles
demonstram interesse especial por
mulheres grávidas e por crianças
excepcionais.

ELAS MANDAM
A vida sexual dos rotadores é
cheia de particularidades. Uma
fêmea pode ser cortejada por até
dez machos ao mesmo tempo.
Eles fazem uma fila e se revezam
na penetração, que dura cerca de
15 segundos. A maratona sexual
pode se prolongar por duas horas.
É a fêmea quem define quais
serão os machos contemplados.

 

 

.



Categoria: outros
Escrito por nepapa às 17:58:04
[   ] [ envie esta mensagem ]




Um estranho no ninho



Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 14:42:29
[   ] [ envie esta mensagem ]




baile fantasia



Categoria: CÃES
Escrito por nepapa às 00:58:08
[   ] [ envie esta mensagem ]




baile fantasia



Categoria: CÃES
Escrito por nepapa às 00:55:21
[   ] [ envie esta mensagem ]




adivinha quem é



Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 00:47:51
[   ] [ envie esta mensagem ]




A evolução dos bichos

Depois de os canídeos selvagens aprenderem a não atacar o homem, a evolução destes animais desenvolveu-se rapidamente. A história de uma relação de interesses, que culminou nos cães domesticados que tão bem conhecemos hoje.

Destaque: PONTO DE VISTA O fotógrafo Robert Clark



Categoria: CÃES
Escrito por nepapa às 23:07:53
[   ] [ envie esta mensagem ]




Amor de Bicho

Os cães e o homem têm dois tipos de relações: trabalho e afecto.
Alguns cães ajudam a caçar, a guardar gado, a guiar cegos ou a procurar sobreviventes de tragédias. Outros respeitam o homem com afecto e lealdade. Do trabalho ao mimo, um retrato fiel dos dias que correm.



Categoria: CÃES
Escrito por nepapa às 23:02:44
[   ] [ envie esta mensagem ]




Instinto animal


O KELPIE AUSTRALIANO DE TRABALHO


Karana Hawk
Em ranchos na América do Norte, como no cerrado australiano, o Kelpie de trabalho geralmente trabalha sem supervisão, confiando no seu próprio instinto para achar e reunir rebanho.

O Kelpie de trabalho é um cachorro ativo, hábil e sempre pronto para o trabalho. Ele originou-se por volta de 1870, desempenhando um papel importante no desenvolvimento do rebanho ovino e da industria da lã na Austrália. Descendente do "coley de trabalho" Britânico (originado do Border Collie), o Kelpie foi criado para as adversidades, clima quente, terras extensas, e o indomável Merino da Austrália. O Kelpie, sendo um cachorro natural de trabalho, foi bem aclimatado para as hostis condições desse país



Categoria: CÃES
Escrito por nepapa às 22:38:57
[   ] [ envie esta mensagem ]




Sem papas na lingua

Jornal A TOCHA Esporte e Cultura NOTÍCIAS SOBRE ANIMAIS 14/03 - Sem papas na língua Timidez é uma das poucas palavras que não fazem parte do vocabulário de Casco, um papagaio latino-americano que atualmente mora na cidade de Ispahan, região central do Irã. O louro, não contente em falar "apenas" persa e árabe, também recita versículos do Alcorão e cita nomes dos imãs da religião muçulmana xiita, para alegria de seu dono, Meckhinpour. "Em nome de Deus o clemente, o misericordioso. Allah Akbar (Alá é grande), Ali, Hassan, Hossein", repete Casco, que também cita Fatemeh (Fátima), a filha do profeta e esposa de Ali, venerada por todas as mulheres no Irã. Palavras prosaicas, como responder com um "quem é"? aos toques da campainha, também fazem parte da rotina do animal, que para aprender novas palavras, conta com a ajuda de seu dono, que todas as noites, coloca um lençol branco sobre a gaiola e repete tudo que ele deve aprender em voz alta.



Categoria: outros
Escrito por nepapa às 19:21:40
[   ] [ envie esta mensagem ]




Sem papas na lingua

Jornal A TOCHA Esporte e Cultura NOTÍCIAS SOBRE ANIMAIS 14/03 - Sem papas na língua Timidez é uma das poucas palavras que não fazem parte do vocabulário de Casco, um papagaio latino-americano que atualmente mora na cidade de Ispahan, região central do Irã. O louro, não contente em falar "apenas" persa e árabe, também recita versículos do Alcorão e cita nomes dos imãs da religião muçulmana xiita, para alegria de seu dono, Meckhinpour. "Em nome de Deus o clemente, o misericordioso. Allah Akbar (Alá é grande), Ali, Hassan, Hossein", repete Casco, que também cita Fatemeh (Fátima), a filha do profeta e esposa de Ali, venerada por todas as mulheres no Irã. Palavras prosaicas, como responder com um "quem é"? aos toques da campainha, também fazem parte da rotina do animal, que para aprender novas palavras, conta com a ajuda de seu dono, que todas as noites, coloca um lençol branco sobre a gaiola e repete tudo que ele deve aprender em voz alta.



Categoria: outros
Escrito por nepapa às 19:20:54
[   ] [ envie esta mensagem ]




Vamos proteger os animais

Instituto de Proteção Os Animais do Brasil -IPAB Visa criar meios eficazes de combater os atos de crueldade praticados contra os animais ,com base nos regulamentos federais,estaduais e municipais,e através da cooperação dos órgãos governamentais e da iniciativa privada. Auxilia na a doação e adoção de animais domesticos,orienta como proceder em casos de denuncias de maus tratos.



Categoria: CÃES
Escrito por nepapa às 18:58:40
[   ] [ envie esta mensagem ]




macaco esperto

Matéria incluída dia 1/30/2005
Experiência nos EUA liderada por brasileiro usa implantes cerebrais em cobaias.

Cientista de uma universidade americana, liderada por um pesquisador brasileiro, desenvolveram um implante cerebral que permite que macacos controlem um braço mecânico apenas com seus pensamentos. É a 1ª vez que se consegue fazer com que padrões mentais movam um objeto.
A tecnologia pode permitir que, um dia, pessoas com paralisia operem máquinas e equipamentos ou enviem estimulos, não para uma máquina, mas para seus braços e pernas.
Na experiência chefiada pelo brasileiro Miguel A. L. Nicolelis, da Universidade de Duke, na Califórnia do Norte, os cientistas usaram 2 macacas resu. Depois de retirarem pequenas partes do crânio das cobaias, Nocolelis e seus colegas ligaram fios mais finos que um fio de cabelo ao cérebrodos animais. A operação - digna de ficção científica - durou 10 horas. Os fios foram então conectados a um computador e, este, a um braço mecânico.
No começo, a macacas aprenderam a usar um joystick(um comando semelhante aos de video - games) para mover o equipamento.
O aprendizado foi rápido. Enquanto moviam o controle, o computador registrava a atividade bioelétrica do cérebro das cobaias, identificando, assim, certos padrões mentais que acompanhavam cada moviemto.
Um padrão relacionado ao ato de alcançar algo com o braço robô, outro de apanhar um objeto. Aos poucos, o computador ia aprendendo a "ler" a mente das macacas.
O passo seguinte de Nicolelis e sem equipe fio então mais radical: eles desligaram o joystick, de modo que a movimetação do equipamento passou a depender exclusivamente da atividade cerebral dos animais.
No começo, disse o pesquisador, elas continuaram a mover o joystick, sem perceber que este não transmitia mais seus comandos.
"Nós ficamos olhando e elas pararam de mexer seu braço, mas o cursor na tela do computador continuava se movendo e o braço robô estava girando", disse Nicolelis.

"Não conseguimos pronunciar uma palavra. Ninguém quis verbalizar o que acontecia. E as macacas proseguiram fazendo aquilo por quase uma hora."
No começo, a habilidade das cobaias em movimentar o braço mecânico sem o joystick decaiu. Mas pouco depois de 1 dia, o controle era tão suave que parecia que elas haviam aceitado o braço mecânico como um braço delas mesmas.
O estudo de Nicolelis deixou neurologistas impressionados.



Categoria: outros
Escrito por nepapa às 00:57:08
[   ] [ envie esta mensagem ]




Adote um animal

DIA NACIONAL DE ADOTAR UM ANIMAL

O dia 4 de outubro é dedicado a São Francisco de Assis. Nascido em 1182,em uma rica família mercante do norte da Itália, onde inicialmente continuou o negócio de seu pai. Depois de um período de prisão por envolvimento em uma disputa de fronteiras em 1202,abandonou tudo em favor da vida religiosa.

Seu ensinamento refletia um profundo amor ao mundo natural e respeito pelas mais humildes das criaturas. Por estas atitudes passou a ser considerado o protetor dos animais e patrono da Ecologia.

Idealizei e estou empenhada em criar uma data especial para incentivarmos a adoção dos animais abandonados. O dia escolhido foi 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis, o verdadeiro protetor dos animais deverá se transformar no DIA NACIONAL DE ADOTAR UM ANIMAL.

Por que devemos apoiar o Dia Nacional de Adotar um Animal?

Existem milhares à espera de uma chance. Uma chance de encontrar comida, um teto, saúde e carinho. Enfim, de encontrar uma família, que possa tratá-los com respeito e dignidade. A idéia não é sómente incentivar a adoção apenas no sentido da palavra, mas que ela seja vista como uma opção na hora de adquirir um animal, sem preconceitos.Nesta data também precisamos fazer uma mobilização em prol da posse responsável e da castração , como uma maneira de garantirmos aos animais uma condição digna de vida, através de eventos realizados em várias cidades.

Como você pode participar:

Divulgando esta proposta para seus amigos, nas escolas, nas igrejas, enfim ecoando no coração das pessoas.Através de cartazes confeccionados com muito carinho e criatividade, voce podera divulgar em vários locais públicos, clinicas veterinárias e pet shops.Cada aliado que se disponha ajudar , será sempre uma grande conquista e aumentará a possibilidade de diminuirmos o número de animais abandonados.

A sua entidade poderá realizar eventos de manifestação de apoio e assim, fortalecer a sua participação neste processo de valorização e respeito ao animal na sociedade.Nos comunique sobre o evento a ser realizado, e estaremos divulgando no Informativo deste Guia.

Todas as sugestões que possam contribuir para que a data seja comemorada com muito entusiasmo e dinamismo , devem ser enviadas para mim.

Dia 4 de Outubro - Dia Nacional de Adotar um Animal -
Plante a semente da caridade e colha os frutos do amor!



Categoria: CÃES
Escrito por nepapa às 22:36:06
[   ] [ envie esta mensagem ]




Doenças infecciosas

PERITONITE INFECCIOSA FELINA: também chamada de PIF ou FIP, uma das doenças felinas  mais cruéis e complexas. Incide com uma frequência  considerável.  Contagiosa e fatal, a partir da manifestação dos sintomas, que ocorre,  geralmente, a partir de uma  queda de resistência. O período de incubação pode levar de 7 dias a vários anos. Os sintomas são os mais diversos, pois a doença ataca as células do sangue, e pode manifestar-se das mais variadas formas. Normalmente, provoca distenção do abdômen, devido ao acúmulo de líquidos nessa região;  o gato apresenta uma coloração amarelada no corpo todo, perda de apetite, emagrecimento progressivo  e debilidade geral. Transmissão através de contato direto, urina, fezes e saliva. Existe a possibilidade de transmissão pelo ar. Nem todos os animais que apresentam o vírus desenvolverão a doença. Não há cura conhecida, pesquisas estão sendo desenvolvidas nesse sentido. Alguns resultados foram obtidos  em tratamentos realizados  com medicamentos para aidéticos (humanos).

AIDS FELINA: De menor incidência, ela se manifesta como a AIDS humana, atacando o sistema imunológico do animal e baixando a resistência do organismo; como consequência, o gato passa a desenvolver inúmeras  doenças,  emagrecimento progressivo e debilidade geral. Como a PIF, a AIDS é fatal, não existe cura nem tratamento conhecido.

RAIVA: Baixíssima incidência, uma vez que a raiva está praticamente erradicada no Brasil. O gato procura lugares escuros, apresenta profunda salivação e agitação, e desenvolve um comportamento profundamente agressivo. Não existe tratamento, ele  morrerá em poucos dias. Deve-se ter muito cuidado ao lidar com um animal infectado, pois a doença é transmissível ao homem.



Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 01:56:12
[   ] [ envie esta mensagem ]




outras doenças

GASTROENTERITE: muito comum em filhotes em fase de desmame. Pode ser provocada por adaptação alimentar, parasitas no aparelho digestivo e até mesmo por calor excessivo. Mas também pode ser um sintoma de doenças muito graves. O gatinho apresenta vômitos, seguido de intensa diarréia e prostração. Ofereça-lhe água de coco (hidrata, nutre e estabiliza o aparelho digestivo) e procure o veterinário para diagnosticar a causa: o gatinho perde muito peso, água e sais em 24 horas, e pode morrer se o problema persistir por mais de 48 horas.

PERIODONTITE: A formação de placas bacterianas e tártaro nos dentes provocam uma infecção na gengiva, que pode chegar ao osso do maxilar. Se não for tratada, provoca a perda dos dentes e infecções mais sérias. Recomenda-se uma limpeza de tártaro, realizada por um veterinário, anualmente.

PIOMETRA: Severa infecção uterina ocasionada por desequilíbrios hormonais nas fêmeas. Existem tratamentos que podem ou não surtir efeito:  devem ser tomadas medidas urgentes para evitar a perda do útero, o que acontece com frequência. Nem toda as infecções uterinas são Piometra: é comum fêmeas apresentarem esse quadro após o nascimento dos filhotes, principalmente se uma placenta ficar retida dentro do útero. O  veterinário saberá identificá-la.

            Existe uma infinidade de problemas que podem acometer um gato: envenenamento por plantas, produtos de limpeza e outras substâncias tóxicas são igualmente comuns. Acidentes como queda, torções, luxações também podem ocorrer, com menor frequência. Tumores são observados em gatos. A deficiência de vitamina D pode causar raquitismo, assim como a deficiência de cálcio ocasiona um enfraquecimento nos ossos. Eles também são muito suscetíveis a alergias. Substâncias irritantes como poeira podem causar uma conjuntivite.
          
Mas se seu gato for sadio, estiver sendo  mantido em boas condições de higiene, for bem alimentado e estiver devidamente vacinado, é muito provável que viva sadio e feliz ao seu lado por muitos anos. Leve-o, periodicamente, para uma avaliação, pois problemas diagnosticados no princípio são muito mais fáceis de serem curados. Procure cuidar bem dele, e sempre que tiver alguma dúvida, consulte seu veterinário.

 



Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 01:41:33
[   ] [ envie esta mensagem ]




Outra Doença

SÍNDROME UROLÓGICA FELINA: Não podemos falar de saúde dos gatos  sem mencionar a Síndrome Urológica Felina, ou SUF,  um problema que incide num grande número de gatos, principalmente em machos. Trata-se do entupimento do canal da uretra por cristais que se formam nos rins, a partir da ingestão excessiva de sais minerais, que alcalinizam a urina e propiciam a formação dos cristais de magnésio.
               
Os sintomas variam: a urina pode tornar-se mais escura, com sangue e diminuição de pressão e quantidade. O gato esforça-se para urinar, mas não consegue e chora de dor. Nesse estágio, a uretra pode estar completamente entupida, e se não for socorrido imediatamente, haverá paralisação dos rins, que levará o gato ao coma e à morte.  Pode ser evitado com medidas alimentares: ofereça ao seu gato uma ração com altos teores protêicos, que tornam a urina mais ácida, e baixos teores de magnésio, evitando a formação de cálculos.
             
Ainda falando de enfermidades do trato urinário, é comum que um gato apresente cistite (inflamação na bexiga), ocasionada por bactérias ou até mesmo de nascença, que acaba por tornar-se crônica; esse quadro pode ocasionar um aumento no tamanho dos rins, causando uma nefrite. Também é normal a insuficiência renal em gatos, causada por agentes tóxicos, infecções ou traumatismos.  Todos esses problemas são tratáveis.



Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 01:38:24
[   ] [ envie esta mensagem ]




Rinotraqueíte

RINOTRAQUEÍTE:  O vírus permanece de 7 a 15 dias incubado, até a manifestação da doença, que  se apresenta como  uma gripe: lacrimejamento nos olhos, espirros, salivação espessa e excessiva, coriza e febre eventual;  se não for devidamente tratada, pode levar o gato à pneumonia e a morte. Pode ser evitada se o gato for devidamente vacinado, conforme o programa de vacinação estabelecido.  

CALICIVÍRUS: Ulceração nas mucosas internas da boca, que promovem a perda de apetite do animal. Pode haver sintomas de uma gripe seca. O período de incubação é o mesmo da Rinotraqueíte.

CLAMYDIA: Também faz parte  do Complexo Respiratório Felino, porém, manifesta-se mais intensamente nos olhos, como uma conjuntivite. Incubação: 5 a 15 dias. O animal apresenta espirros secos, sem secreção, e o nariz torna-se mais avermelhado. Pode apresentar febre. Facilmente confundível com processos alérgicos.

PANLEUCOPENIA: Infecção intestinal  provocada por vírus. A incubação leva de 2 a 5 dias. Altamente contagiosa e geralmente fatal, principalmente em filhotes. Os sintomas são: vômito prolongado e severo, espumoso e com coloração da bílis (secreção hepática), seguida de diarréia e febre alta. Desidratação drástica, e consequente perda de sais. O gatinho morre em poucos dias, na grande maioria das vezes. Ainda não é conhecido nenhum tipo de tratamento;  porém, a vacina oferece proteção contra a doença.

LEUCEMIA FELINA: Trata-se de câncer no sangue. Os sintomas variam bastante mas, geralmente, o animal apresenta perda de peso e de  apetite, e uma debilidade crescente. Também não há cura conhecida. A transmissão parece ocorrer através da mãe, e  não se sabe ao certo se a transmissão ocorre pelo contato direto. Evitável através da vacina.



Escrito por nepapa às 01:33:59
[   ] [ envie esta mensagem ]




Doenças Felinas

DOENÇAS VIRAIS

 

                As doenças virais mais comuns nos gatos são, sem dúvida, as que pertencem ao chamado “Complexo Respiratório Felino”. Ele é composto de  múltiplos agentes que  atuam  provocando sintomas  similares. Ou seja, cada agente está  associado a um sintoma, que pode vir sozinho ou acompanhado de vários outros. Porisso, a mesma doença pode  incidir  duas vezes no mesmo animal,  sem necessariamente apresentar os mesmos sintomas. Nenhuma delas é transmissível  para o homem.
              
As doenças que fazem parte do Complexo Respiratório Felino  são evitadas através do cumprimento  do calendário anual de vacinação. Esse consiste em 3 doses de vacina  no primeiro ano de vida, a partir dos 2 meses de idade, e mais dois reforços com intervalos de 30 dias entre cada revacinação. A vacina contra raiva deve ser administrada após o cumprimento do cronograma acima.
             
Numa única dose, a vacina Tríplice  imuniza o gato contra Rinotraqueíte,  Calicivírus e Panleucopenia. Algumas vacinas vem associadas também com anti-corpos para Clamydia (Quadrupla),  e outras abrangem também a Leucemia Felina (Quintupla). O veterinário optará qual administrar no seu filhote. Deve ser feito um reforço anual da vacina contra raiva, e também da triplice (substituída pela Quadrupla ou a Quintupla,  conforme orientação de seu veterinário).
             
As doenças descritas a seguir são virais: isso significa que elas são disseminadas pelo ar, e podem ser trazidas através dele, ou de  suas roupas e sapatos. Porisso, mesmo que  seu gato não saia de casa, jamais deixe de vaciná-lo. Esse ato protegerá seu bichinho de estimação, evitando muito sofrimento para você e para ele.



Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 01:30:18
[   ] [ envie esta mensagem ]




Doenças intestinais

PARASITAS INTESTINAIS

TÊNIAS: as mais frequentes,  são transmitidas através de pulgas contaminadas. Aparecem normalmente  junto com as fezes do animal, ou mesmo sozinhas, pelo ânus, dependendo do grau de infestação. São semelhantes a grãos de arroz, porém vivos. Elas provocam perda de apetite, ou apetite exagerado. Os filhotes infectados apresentam crescimento retardado, abdômen dilatado, pele sem elasticidade, e queda de resistência orgânica (que poderá propiciar o aparecimento de micoses);  podem levar a  vômitos e diarréia. Colha uma amostra de fezes e leve ao veterinário. Ele poderá identificar o tipo de verminose, ou encaminhará para um  exame de  laboratório. Facilmente tratável através de vermífugos,  que devem ser administrados conforme peso e idade do gato. Seu veterinário saberá indicar qual o melhor  tratamento, bem como a dosagem.

 ANCILOSTOMÍDEOS: manifestam-se através de  fezes, endurecidas ou não, acompanhadas com  sangue, ou então, aparecem na forma de fezes enegrecidas. Diagnosticável através de exames parasitológicos de fezes.

 TOXOCARA: Os vermes, bem visíveis, tem a forma de larvas compridas e geralmente, aparecem em grande quantidade nas fezes. Ancylostomídeos e Toxocara podem ser transmissíveis ao homem.

PROTOZOÁRIOS INTESTINAIS: os mais comuns são a Coccidia, transmitida pela  água ou pelas fezes de pássaros; e a Ghiardia, transmitida também pela água ou até mesmo através de sapatos contaminados por excrementos de animais que vivem na rua. As fezes apresentam-se amolecidas, esverdeadas, aparentando  estarem revestidas por uma fina película. Diagnóstico através de exame laboratorial; ambos requerem tratamento mais  prolongado, indicado pelo veterinário, conforme peso e idade do animal.

VERMES PULMONARES OU CARDÍACOS: de incidência mais difícil. Os sintomas são tosse e respiração difícil, sugerindo pleurisia e pneumonia.

VERMES OCULARES: ocorrem com pouca frequência. Facilmente removíveis pelo veterinário, porém, tal procedimento exige anestesia local.



Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 01:25:09
[   ] [ envie esta mensagem ]




Parasitas

MIÍASES: vulgarmente chamadas de ‘bicheiras’, são larvas que nascem a partir de ovos de moscas varejeiras, que os depositam em feridas expostas. Ali, nascem larvas que se alimentam dos tecidos ao redor, que, por sua vez, põe mais ovos, aumentando cada vez mais a ferida e o problema. Somente um veterinário poderá retirá-las e tratar do ferimento. Evitável, desde que  os gatos sejam  mantidos em condições adequadas de higiene.

ÁCAROS DE OUVIDO: chamada também de ‘sarna de ouvido’ ou sarna otodécica,  ocorre com bastante frequência. A instalação de ácaros nos ouvidos provoca otite, uma infecção no duto auditivo. Manifesta-se através de uma secreção escura, e provoca muita coceira e dor no animal. Não transmissível ao homem.




Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 01:21:57
[   ] [ envie esta mensagem ]




Parasitas

SARNA: provocada por ácaros, o Notoedres cati, aparece inicialmente  nas bordas das orelhas, ponta da cauda e patas, mas também  manifesta-se  no corpo todo. Provoca lesões sérias na pele, que se apresenta espessa e com crostas;  e muita coceira, além de causar debilidade  imunológica no animal. Após o tratamento, não há sequelas.  Transmissível ao homem.

PULGAS: muito comuns, principalmente nos persas, pois a longa pelagem propicia a proliferação delas. Não trazem risco de vida para seu gato, mas é de extrema importância que sejam eliminadas, pois elas são hospedeiras intermediárias de Tênias e outros tipos de verminoses,  e ainda  transmitem diversas  doenças, se tiverem ingerido sangue contaminado através de  picadas anteriores em  outro animal. Existem Shampoos anti-pulgas eficientes para combatê-las, bem como produtos específicos para esse fim. Consulte seu veterinário para que possam ser realizados  testes desses produtos antes de serem utilizados em seu gato, uma vez que ele  pode ser alérgico a um dos componentes da fórmula.

CARRAPATOS E PIOLHOS: dificilmente encontrados em gatos, exceto em locais frequentados também por pássaros. Facilmente visíveis e identificáveis. O tratamento é o mesmo usado no  combate às pulgas.



Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 01:10:54
[   ] [ envie esta mensagem ]




Doenças felinas

 

 

DOENÇAS MAIS FREQUENTES

                      Os Persas são considerados uma das raças que apresentam a saúde mais delicada. Manipulados pelo homem desde sua origem, o aperfeiçoamento da raça também trouxe fragilidade ao seu organismo. Porém, os mesmos  problemas são comuns a todos os gatos, e a grande maioria são evitáveis com medidas preventivas, como vacinação, vermifugação, boa higiene e alimentação saudável e bem balanceada. Passaremos a conhecer os problemas  mais comuns que os acometem. Seja ele qual for, consulte sempre seu veterinário.

PARASITAS 


FUNGOS:  Existem alguns  tipos diferentes. As mais simples e comuns são aquelas provocadas por ataques fúngicos oportunistas, que  aparecem sempre com a queda de resistência do animal. Não são transmissíveis ao homem. Ela se caracteriza por uma ligeira  descamação localizada, seguida da queda de pêlo naquele local.
        Há também outro tipo de micose, chamada de ‘tinha’ ou ‘erisipela’, essa transmissível ao homem e que apresenta placas aneladas na pele. São diagnosticadas através de luz ultravioleta. O gato pode manifestar sintomas, ou ser apenas um transmissor. Procure imediatamente seu veterinário. Em ambos os casos, procure desinfetar os locais de acesso dele com água sanitária.



Categoria: GATOS
Escrito por nepapa às 01:06:31
[   ] [ envie esta mensagem ]




 

Parvovirose Canina

  José Brites Neto
Médico Veterinário

Introdução

No fim do ano de 1978, uma nova doença viral de cães, caracterizada por diarréia hemorrágica severa e vômitos, foi reconhecida.

A doença causada por um parvovírus manifesta-se de duas formas, que são a forma entérica e a forma miocárdica. A forma entérica é mais freqüentemente reconhecida, por mostrar sinais evidentes. A forma miocárdica é geralmente diagnosticada no post-mortem, pois a maioria dos animais morre subitamente sem mostrar sinais clínicos.

Onde a doença se originou e por que ela apareceu subitamente e quase que espontaneamente em várias partes do mundo ao mesmo tempo não é sabido. Tem sido sugerido que, devido à semelhança antigênica com o vírus da panleucopenia felina, o vírus da parvovirose canina seja um mutante de uma linhagem de campo do vírus felino.

Diagnóstico

As alterações hispatológicas em cães infectados, apesar de serem características, só podem ser usadas para confirmação post-mortem. O exame ao microscópio eletrônico de extratos fecais é diagnosticamente confiável. O exame de imunofluorescência direta em esfregaços de intestino e o isolamento do vírus também têm sido empregados. A sorologia, empregando os métodos de inibição da hemoaglutinação (HI) e soroneutralização (SN) podem ser usados mas, por si só, não são conclusivos, pois os títulos de HI e SN podem ser elevados pela vacinação em adição à exposição natural. Somente a detecção do vírus nas fezes e/ou a demonstração de

anticorpos IgM no soro confirmam positivamente a infecção aguda.



Categoria: CÃES
Escrito por nepapa às 00:40:21
[   ] [ envie esta mensagem ]




Cinomose

Cinomose

Enfermidade infecto contagiosa, que afeta só os cães entre os animais domésticos e os canídeos silvestres.

Causada por um vírus que sobrevive por muito tempo em ambiente seco e frio, e menos de um mês em local quente e úmido; muito sensível ao calor, luz solar e desinfetantes comuns.

Não escolhe sexo ou raça, nem a época do ano. Ocorre mais em jovens, mas animais idosos também podem se contaminar se não vacinados.

Se infectam (contaminam) por contato direto ou pelas vias respiratórias, pelo ar contaminado.

A  transmissão direta é por secreções do nariz e boca de animais infectados (espirros e gotículas que saem do nariz quando se respira) é a principal fonte de infecção. O animal doente espirra e contamina o ambiente e os animais que estejam perto. Inclusive, se tiver um ser humano por perto, o vírus pode ser carregado por ele até um animal sadio.

O animal pode se contaminar pela via respiratória ou por via digestiva, por contato direto ou fômites ( pode ser um objeto ou um ser humano, por exemplo, que carregam o vírus na roupa, nos sapatos) , água e alimentos contaminados por secreções de cães doentes.

Após o animal ser infectado, ocorre o período de incubação do vírus (digamos que seja o período que ocorre entre o vírus entrar no corpo e o corpo começar a manifestar os sintomas da doença) por 3 a 6 dias , ou até 15 dias, e depois disso a temperatura pode chegar a 41ºC, haver perda de apetite, corrimento ocular e nasal . Este estado dura mais ou menos 1 a 2 dias.

Depois se segue um período de 2 a 3 dias, as vezes meses, em que parece que tudo volta ao normal.

Depois disso podem aparecer os sinais e sintomas típicos da cinomose, dependendo da resposta imunitária do animal.

Pode haver sintomas digestivos (diarréia e vômito), respiratórios (corrimento nasal e ocular) ou nervosos ( tiques nervosos, convulsões, paralisias, etc) ou haver associação deles.

O animal pode morrer tendo desenvolvido só uma das fases da doença ou sobreviver desenvolvendo todas, podem desenvolver cada tipo de sintoma aos poucos ou todos juntos.

Normalmente os primeiros sintomas da 2º fase são febre , falta de apetite, vômitos, diarréia, dificuldade para respirar.

Depois conjuntivite com secreção , corrimento nasal, com crostas no focinho, e pneumonia.

Pode se seguir por 1 a 2 semanas e daí aparecerem os sintomas nervosos: tiques nervosos, depois sintomas de lesões no cérebro e medula espinhal.

Em alguns, por inflamação no cérebro, os animais ficam agressivos, não conseguem as vezes reconhecer seu dono.
Em outros ocorre paralisia dos músculos da face em que o animal não consegue abrir a boca nem para tomar água, apatia profunda.
Por lesões no cérebro e na medula espinhal, andar cambaleante, paralisia no quarto posterior (‘descadeirado’). Dificilmente os sintomas são estacionários (vão piorando sempre, de maneira lenta ou rápida).

É de difícil tratamento, dependendo quase exclusivamente do cão, e de sua capacidade de ter uma resposta imunológica suficiente, sua sobrevivência ou não.
Digo 'quase exclusivamente' porque o veterinário pode ajudar eliminando coisas que podem atrapalhar sua “guerra” com a doença, como as infecções que ele pode ter por fraqueza (queda de resistência), aconselhar uma alimentação correta, receitar medicamentos que ajudem a combater as inflamações no cérebro, receitar uma medicação que tente aumentar sua resistência, etc.

Sua evolução é imprevisível, ou seja, quando o cão adoece, não há como saber se ele vai se salvar ou não, ou se sua morte vai ser rápida ou lenta.

A melhor solução ainda é a prevenção, ou seja, vacinar corretamente.

Obs: Na enorme maioria dos casos não se aconselha a vacinar um animal suspeito de ter a doença. A vacina, nestes casos, pode "sabotar" o combate do animal à doença, já que também sobrecarrega o sistema imune em um primeiro momento.

 



Categoria: CÃES
Escrito por nepapa às 00:29:12
[   ] [ envie esta mensagem ]





[ ver mensagens anteriores ]